O FANTASMA DO BANCO DE TRÁS - PARTE II



Copyright Mirrorpix - All Rights Reserved

Antes de mais, para perceberem melhor esta atualização, permitam-me sugerir que leiam primeiro o artigo original "Fotos Paranormais - O Fantasma do Banco de Trás".
Na sequência da vossa leitura, posso desde já acrescentar que a minha pesquisa junto da firma Historic Newspapers não produziu qualquer resultado, uma vez que os preços praticados eram simplesmente proibitivos. Não consegui portanto determinar qual a data exata em que a foto foi publicada no jornal Sunday Pictorial.

No entanto, penso ter conseguido determinar qual o programa de televisão francês no qual o produtor da BBC Ivan Howlett terá participado, conforme poderão verificar no video que se segue (e que está, obviamente, em francês). O programa chama-se Les 30 histoires le plus mystérieuses, e desde 2006 até 2012, já foram emitidos seis episódios. Ao que parece, Ivan Howlett terá afinal tido sucesso em localizar os autores da foto, uma vez que Mabel Chinnery e o seu marido (que aparece no foto à frente do "fantasma"), aparecem no referido programa, contando a sua história:



A descoberta dos autores da foto, acrescenta sem dúvida um pouco mais de credibilidade a esta famosa fotografia, a qual continua pelos vistos a ser considerada pelos autores da mesma, como prova de um fenómeno paranormal.

Permitam-me no entanto que partilhe também com vocês, um passagem do livro de Arthur C. Clarke,  Chronicles Of The Strange And Mysterious, que entretanto descobri:

...o computador examinou também uma famosa fotografia de "fantasmas"  tirada em 1959 por uma mulher de Suffolk, Mrs Mabel Chinnery.
Foram detetados diversos pormenores pouco habituais no que diz respeito à falecida que aparece no banco de trás. Primeiro que tudo, a luz no rosto parece vir de uma direção diferente da luz que ilumina o resto da fotografia. Para além disso, os óculos parecem refletir uma maior quantidade de luz daquela que existiria na realidade dentro do carro. Em terceiro lugar, o corpo da senhora idosa não parece adquadamente posicionado no veículo. Por exemplo, o seu ombro parece prolongar-se de forma estranha para além da divisória que separa as duas janelas, o que faria da falecida uma mulher invulgarmente volumosa. Os peritos concluíram pois que a fotografia deveu-se a uma dupla-exposição acidental entre a foto que Mrs Mabel Chinnery tirou ao seu marido Jim e uma exposição muito curta de outra fotografia da falecida (ou da sua sepultura) existente no rolo.

Permitam-me também acrescentar que os peritos aqui mencionados por Arthur C. Clarke, são Tim Newton e Steve Gull do Home Office, e que podem ser vistos no video do Youtube que faz parte integrante do meu artigo "O Espectro da Igreja de Newby Hall". A sua análise parece fazer algum sentido, não concordam? Caso existisse a possibilidade de examinar o rolo e os negativos originais das fotos, penso que chegaríamos exatamente à mesma conclusão.