O ESPECTRO DA IGREJA DE NEWBY HALL


O fantasma da Igreja Christ the Consoler, em Skelton-cum-Newby. Fonte: Not this crude matter

A informação que por vezes circula na Internet acerca das mais famosas fotos de fantasmas (e de muitas outras coisas), contém na grande maioria dos casos, várias incorreções. Quase todos os livros, sites ou blogs que abordam a foto com que inicio este artigo, mencionam que a mesma foi tirada pelo Reverendo Kenneth F. Lord, em 1963, na igreja de Newby, em Inglaterra. Pois bem, ao que parece, só o nome do Reverendo é que corresponde à verdade.

É fácil por exemplo, comprovar que não existe nenhuma igreja em Inglaterra, designada por Newby Church. Nestas coisas, nada como procurar as fontes mais credíveis, pelo que decidi consultar o excelente livro Ghosts Caught on Film, do Dr Melvyn Willin, arquivista da Society for Psychical Research. Embora o livro não tenha informação exaustiva sobre cada uma das fotos que analisa, a mesma está sem dúvida correta, e serve como excelente ponto de partida para uma investigação mais aprofundada. Qual é então o nome correto desta igreja, onde o fantasma de um monge encapuzado decidiu aparecer? Chama-se Church of Christ the Consoler, e fica situada nos terrenos da mansão histórica de Newby Hall, construída no Séc. XVII. A mansão foi construída junto à pequena vila de Skelton-on-Ure, no condado de Yorkshire, pelo que a morada exata da igreja, Skelton-cum-Newby, resulta da soma do nome da mansão com o nome da vila.


Altar da igreja Christ the Consoler, em Skelton-cum-Newby
© All rights reserved by Peter Mattock

Como podem verificar pela bonita foto acima, a qual me foi gentilmente cedida pelo fotógrafo Peter Mattock, o altar da igreja Christ the Consoler, em Skelton-cum-Newby, está exatamente igual nos dias de hoje (com exceção da cruz que tapava a figura central), ao que estava no ano em que o Reverendo Kenneth F. Lord tirou a foto. E em que ano exatamente, foi tirada a foto?

Também neste ponto, o livro escrito pelo arquivista da Society for Psychical Research, esclarece todas as dúvidas: 1954. Se tal não bastasse, outras das fontes cuja credibilidade considero inabalável, o famoso cientista e escritor Arthur C. Clarke, confirma no seu livro World of Strange Powers, que a foto foi efetivamente tirada no verão de 1954.

Aliás, o livro de Arthur C. Clarke, juntamente com o episódio número 7 da sua série televisiva (Fairies, Phantoms and Fantastic Photographs), constituem as melhores e mais completas fontes de informação sobre esta foto, que se mantém até aos dias de hoje, como uma das mais enigmáticas fotos paranormais alguma vez tiradas.



O vídeo que (espero) acabaram de ver, juntamente com o livro (cujo texto podem consultar neste link), fornecem-nos alguns pormenores interessantes sobre a foto. Ficamos a saber que o Reverendo Kenneth Lord (não consegui obter qualquer informação adicional sobre ele), tirou a foto com uma máquina Rolleicord IV, e que a mesma fazia parte de um rolo de doze fotos. Somente a quinta foto continha a imagem do fantasma, sendo que as outras onze não apresentavam nenhuma anomalia. Ficamos também a saber que (supostamente), o negativo da foto foi examinado pela Kodak, embora não seja possível determinar com esta informação através de outras fontes.

A foto foi no entanto mesmo examinada por especialistas do Home Office, conforme puderam ver no vídeo, e embora a tecnologia utilizada em 1985 hoje em dia nos pareça obsoleta, mesmo assim a foto do monge fantasmagórico, foi a única para a qual os técnicos não conseguiram arranjar uma explicação convencional.


Vista exterior da igreja Christ the Consoler, em Skelton-cum-Newby
© Copyright C P Smith and licensed for reuse under this Creative Commons Licence

Qualquer que seja o tema paranormal focado pelos meus artigos, os mesmos nunca são, por assim dizer, um produto acabado. Relativamente à foto do monge fantasma, existe muita investigação que ainda pode ser feita. Por exemplo, pretendo confirmar entre outras coisas, se o original dos negativos se encontra nos arquivos da Society for Psychical Research, conforme é referido por algumas fontes. Pretendo também tentar descobrir um pouco mais sobre o Reverendo Kenneth F. Lord, pois embora existam muitas referências indiretas ao seu nome, gosto sempre de confirmar com outro tipo de provas (certidões de nascimento, obituários, artigos de jornal, etc.), que os autores destas fotos realmente correspondem a pessoas reais e não a meros pseudónimos.

A que conclusões podemos chegar com os dados actualmente existentes? Existe uma abundância de opiniões sobre este enigma, nomeadamente por parte dos céticos "profissionais", alegando que a foto é demasiado perfeita (parece uma pose), ou que a "roupa" das aparições não deveria seguir os contornos dos degraus (conforme podem ver na foto, assim acontece), para além de outras conjeturas relacionadas com a relativa modernidade da igreja de Skelton-cum-Newby, e consequentemente sem possibilidade de estar relacionada com monges de aparência medieval.

Tudo isto, obviamente, são argumentos que em nada contribuem para a análise de qualquer foto supostamente paranormal. Se colocarmos a hipótese académica de que é possível fotografar fantasmas, como é possível saber qual o aspeto que um fantasma deveria ter? Ou de que forma deveria a sua "roupa" comportar-se? Existem por exemplo imensas gravações com o som de "passos" paranormais, e também seria fácil dizer que os fantasmas não andam, uma vez que já não têm corpo...

Como sempre, a minha opinião sobre estas fotos, baseia-se somente no grau de probabilidade que eu considero existir, de uma determinada foto mostrar (ou não), um fenómeno paranormal. Quanto à foto do Reverendo Kenneth Lord, tendo em conta as diversas entidades que já a examinaram, a credibilidade das fontes consultadas, juntamente com a possibilidade de determinar com exatidão o local, a data e até mesmo outros pormenores que rodeiam a foto, existe quanto a mim uma forte probabilidade de a mesma representar um verdadeiro fenómeno paranormal. Cheguem igualmente às vossas conclusões e não hesitem em partilhá-las comigo!