O POLTERGEIST DE ROSENHEIM



Annemarie Schneider, a suposta causadora do poltergeist de Rosenheim - Fonte: Youtube

Se gosta de estudar assuntos relacionados com o paranormal, então provavelmente conseguiu identificar com facilidade o rosto de Annemarie Schneider na foto inicial deste artigo. Annemarie Schneider foi a protagonista principal, em 1967, daquele que é considerado um dos casos de poltergeist mais bem documentados de todos os tempos.

Poltergeist significa "espírito ruidoso" ou "espírito barulhento", pois deriva da junção das palavras alemãs poltern (fazer ruído, barulho) e geist (fantasma ou espírito). É um fenómeno paranormal que se manifesta habitualmente pela deslocação de objetos sem aparente ação humana e também por ruídos de origem desconhecida. Quase todos os poltergeist acontecem em locais onde está presente uma criança ou jovem, normalmente do sexo feminino.

O caráter ruidoso e "brincalhão" típico dos poltergeist, ficou bem demonstrado no caso de Rosenheim. Tudo aconteceu no escritório de advogados de Sigmund Adam, onde a jovem Annemarie, na altura com 19 anos, trabalhava.



Annemarie no escritório de Sigmund Adam, junto ao candeeiro que supostamente oscilava por sua influência - Fonte: http://www.ghosttheory.com/

As lâmpadas fluorescentes rodavam nos seus suportes e explodiam, quadros pendurados nas paredes rodavam sobre si próprios e outros objetos eram atirados pelo ar. Os telefones tocavam todos ao mesmo tempo e ninguém falava do outro lado da linha. As contas telefónicas mostravam dezenas de chamadas feitas para o serviço horário (0119), mesmo em situações em que não havia ninguém no escritório. As chamadas eram feitas a um ritmo que parecia impossível, tendo em conta o sistema de marcação mecânico existente em 1967. Em dada altura, foram feitas 46 chamadas num período de 15 minutos.

Na minha investigação de casos paranormais, tenho por hábito analisar uma determinada história, e a partir da mesma tentar comprovar quais os elementos que são verdade e os que são falsos. Na análise do poltergeist de Rosenheim vou fazer as coisas de forma um pouco diferente. Em vez de começar pela história, começo antes por dois elementos de prova, neste caso dois vídeos. A seguir a cada um dos vídeos, farei um pequeno resumo sobre o que conseguimos determinar pela visualização dos mesmos. Deixo a vocês a tarefa de compararem aquilo que os vídeos provam, com o que normalmente se escreve sobre o poltergeist de Rosenheim.

O primeiro vídeo faz parte de um episódio da série Arthur C. Clarke's World of Strange Powers, transmitida na televisão inglesa pela primeira vez em 1985. O saudoso escritor e inventor britânico Arthur C. Clarke, fez porventura as melhores séries de TV de sempre sobre assuntos paranormais e outros enigmas. O caso do poltergeist de Rosenheim foi focado no segundo episódio da série, com o título Things That Go Bump in the Night. Vejam no vídeo que se segue, a partir dos 2min e 8seg:


Elementos definitivos que resultam da análise deste vídeo:
  • O advogado Sigmund Alan e o engenheiro Paul Bruner presenciaram os fenómenos.
  • Os eventos relatados por ambos são compatíveis com um poltergeist: Lâmpadas fluorescentes que rodavam nos seus suportes e explodiam, uma caixa de metal que voou pelo ar e um quadro na parede que rodou sobre si próprio enquanto Annemarie tirava fotocópias.
  • O vídeo mostra imagens da instalação telefónica/elétrica a ser mudada no escritório de Sigmund Alan, em 1967.
  • Sigmund Alan mostra alguns dos mapas telefónicos com as chamadas feitas para o serviço horário 0119.
  • O parapsicólogo Hans Bender investigou os fenómenos.
  • Hans Bender filmou um candeeiro oscilante, supostamente devido à presença de Annemarie. Hans Bender confirma que o vídeo não mostra o início da oscilação do candeeiro, mas refere que estranhamente a mesma aumenta com o decorrer do tempo, em vez de diminuir. No entanto, isso não é totalmente evidente nos poucos segundos do video que são exibidos.

O segundo vídeo tem ainda mais informação. A série de TV espanhola Cuarto Milenio, no ar desde 2005 e apresentada pelo jornalista Iker Jiménez, dedicou um episódio ao poltergeist de Rosenheim.

O video pode ser visualizado online neste link (a partir de 01:20:00).

Elementos definitivos que resultam da análise deste vídeo:


  • Eric Schatel, técnico da companhia de eletricidade e F. Karberg do Instituto Max Planck, testemunham ter presenciado e gravado anomalias elétricas de difícil explicação. Referem que embora não existisse qualquer sobrecarga na rede, as flutuações elétricas observadas eram demasiado fortes, ao ponto da agulha rasgar o papel dos aparelhos medidores.
  • O vídeo mostra imagens dos técnicos a mudar as linhas telefónicas e também os mapas com as chamadas para o número 0119.
  • Filmagem de qualidade muito má do que aparenta ser um quadro a girar sobre si próprio, conforme testemunhado por Paul Bruner (ver no 1º video).
  • Outra testemunha, Walter Adam, afirma que por vezes Annemarie entrava num estado de transe e espumava da boca.
  • Annemarie diz que é uma pessoa perfeitamente normal, pelo que na sua opinião, os fenómenos ocorridos em Rosenheim devem ter tido outra origem que não ela própria.

Estes dois vídeos são apenas um ponto de partida para uma investigação mais profunda sobre o poltergeist de Rosenheim. Ainda assim, é um ponto de partida muito interessante. Afinal, em quantos casos do paranormal conseguimos ter um depoimento testemunhal de um cientista do Instituto Max Planck, afirmando que não consegue encontrar uma explicação científica para os fenómenos que presenciou?