O PARANORMAL EM FOTOS - A DAMA DE CASTANHO DE RAYNHAM HALL



Imagem histórica da foto "paranormal" da Dama de Castanho. Tirada em 1936 pelo Capitão Hubert C. Provand (Indre Shire Inc.), e publicada na revista 'Countrylife' no mesmo ano. Esta versão foi tirada do seguinte link (http://www.hauntedamericatours.com/ghosts/MarshalTexas.php)

Decidi começar este blogue por um tema do paranormal que sempre me fascinou, as supostas fotos de fantasmas!

Se forem mais ou menos da minha geração, e apaixonados deste tema, decerto lembram-se do fascínio que dois livros das Selecções do Reader's Digest exerceram sobre nós: O Grande Livro do Maravilhoso e do Fantástico, publicado pela primeira vez em Portugal em 1977, e Fronteiras do Desconhecido, publicado em 1983 (no Brasil, penso que terão sido editados com o mesmo título). Neste último, o capítulo Fantasmas e Espíritos começava com a celébre foto da Dama de Castanho de Raynham Hall. Esta é porventura a foto de fantasmas mais conhecida de todas. 

Antes de apresentar os argumentos que vos poderão convencer de que a foto é verdadeira ou falsa (vocês irão tirar as vossas conclusões), convém relembrar a lenda que envolve a mansão de Raynham Hall...


A mansão de Raynham Hall

Creative Commons Licence [Some Rights Reserved]
© Copyright Nigel Jones and licensed for reuse under this Creative Commons Licence
.

Esta mansão (foto acima) é o lar da família Townshend desde 1619, e fica situada no condado de Norfolk, na costa oriental inglesa. Um enigma paranormal envolve este local, supostamente assombrado pelo espírito de Lady Dorothy Walpole, irmã daquele que é considerado o primeiro Primeiro-Ministro de Inglaterra, Sir Robert Walpole.

Lady Dorothy não terá tido uma vida feliz junto do seu cruel marido, Lord Charles Townshend, que após ter descoberto que a mulher vivera um romance com um conhecido libertino antes do casamento, a terá aprisionado dentro da própria casa e separado dos seus filhos, até à sua morte
. Das informações disponíveis sobre as causas de morte desta dama inglesa, percebemos que não é fácil chegar a uma conclusão. Supostamente a causa oficial registada em 29 de Março de 1726 (e provavelmente a verdadeira causa), foi varíola. A este respeito não consegui localizar nenhum documento contemporâneo da sua morte.

Existem no entanto outras versões não fundamentadas, que sugerem a possibilidade de Lady Dorothy ter caído ou sido empurrada
na escadaria de Raynham Hall. Foi exatamente neste local, decorridos mais de dois séculos, que dois fotógrafos insuspeitos da revista Country Life, tiraram aquela que é provavelmente no universo do paranormal, a foto de fantasmas mais famosa do mundo. Foi em 19 de Setembro de 1936, às 4 da tarde.



Lady Dorothy Walpole - Fonte: The Townshend website

Das várias histórias de fantasmas relatadas pelos hóspedes de Raynham Hall, uma das mais credíveis, na minha opinião, envolve a figura do Capitão Frederick Marryat, escritor prolífico, contemporâneo e amigo de Charles Dickens.

Credível porquê? Pelo menos, ao contrário de muitas outras, é possível verificar na Internet, com alguma pesquisa, que o protagonista da história efetivamente a relatou a alguém... Neste caso, a história é mencionada no livro escrito pela sua filha, Florence Marryat (à esquerda), em 1891. Paranormal e enigmas: Florence MarryatO livro chama-se There is No Death e uma vez que os direitos de autor já expiraram, podem obtê-lo gratuitamente na Internet em formato PDF, por exemplo neste link.


O Capitão Marryat era amigo pessoal dos Townshend e quis ajudá-los numa altura em que a mansão de Raynham Hall
ganhou fama de ser assombrada, o que resultou numa debandada geral por parte da criadagem... 

Decidido a ajudar os amigos, o Capitão insistiu para ficar hospedado em Raynham Hall, precisamente no quarto que fora outrora de Lady Dorothy, e cujo espírito seria em princípio o causador de toda aquela perturbação.

As primeiras duas noites decorreram sem incidentes mas na terceira noite, dois sobrinhos de Lord Townshend que também estavam na mansão, bateram-lhe à porta do quarto e convidaram-no a ir até ao seu, de modo a este lhes dar uma opinião sobre uma nova arma que tinham adquirido. Por brincadeira, Frederick Marryat pegou no seu revólver e disse aos sobrinhos dos Townshend que era "para se proteger dos fantasmas".


Depois de analisada a arma, os dois rapazes ofereceram-se para acompanhar o Capitão no caminho de volta ao seu quarto, através de um longo e escuro corredor. Foi nesse trajecto, que de frente para os três homens surge a luz de uma candeia, transportada por uma mulher. Julgando ser uma das criadas, e uma vez que o Capitão Marryat se encontrava apenas de camisa e calças, resolveu, por pudor, desviar-se para uma das portas laterais e deixar a figura passar. Quando a mulher passa por eles, de súbito levanta a lanterna a qual lhe iluminou a face, tornando visível o rosto de Lady Dorothy! A aparição ri de forma forçada e terrível para os três homens , sendo então nessa altura que o Capitão Marryat pega no seu revólver e dispara directamente à cara de Lady Dorothy! 


Felizmente não era uma hóspede da casa a pregar partidas, uma vez que depois do tiro, o fantasma desapareceu. A bala ficou cravada nas paredes de carvalho do corredor. Esta como outras histórias, têm obviamente um valor relativo, embora fosse interessante poder confirmar, por exemplo, se existe algum buraco de bala nas paredes da mansão. No entanto, os fotógrafos da Country Life conseguiram produzir algo mais concreto e passível de análise: uma fotografia do fantasma de Raynham Hall. Num dos meus próximos artigos, tentarei reunir os melhores argumentos, tanto contra, como a favor da sua autenticidade!